Lâmpadas Incandescentes – O fim de uma era!

Desde julho de 2015, as lâmpadas incandescentes de 60 watts não podem ser mais vendidas.

O Programa de Eficiência Energética do governo federal já retirou do comércio as lâmpadas incandescentes de 100, 200 e 250 watts.

As tradicionais “amarelinhas” agora são peças de museu … Há mais de um século que vinham sendo usadas com muita eficiência, desde que Thomas Edson as inventou.

Lâmpada incandescente

Lâmpada Incandescente

 

Contudo, com as novas exigências de conservação energética, as lâmpadas incandescentes se tornaram um problema, pois consomem muita energia e aquecem o ambiente.

Como alternativas, surgiram as opções de lâmpadas fluorescentes e as de LED, que são mais econômicas e não aquecem. Contudo, são bem mais caras, mas prometem uma durabilidade bem maior.

 

Lâmpada

Lâmpadas Fluorescentes

 

 

Lâmpada

Lâmpada de LED

 

 

 

 

 

 

 

 

Mas, para que essa durabilidade seja uma realidade, alguns cuidados devem ser tomados. Em instalações antigas, com disjuntores velhos e fios inadequados, as novas lâmpadas têm uma vida útil mais curta. Por isso, antes de começar a trocar suas lâmpadas incandescentes, faça uma revisão de suas instalações elétricas. Convém contratar um técnico especializado para essa tarefa. Somente após uma criteriosa renovação nas instalações é que se deve investir nas lâmpadas novas.

Quanto aos soquetes, você pode até manter os que tem (de rosca), pois existem modelos adaptáveis. Se desejar e puder, troque pelos spots mais modernos. Também existem luminárias de LED, que proporcionam uma iluminação excelente e são leves e finos (espessura de 1 a 2 cm).

As lâmpadas de LED, assim como as lâmpadas incandescentes, aceitam dimmer, que possibilitam a regulagem da intensidade luminosa e promovem mais economia.

 

 

cropped-Resolva-Você-Mesmo.jpgRecomenda-se, para ambientes “sociais” como sala e quartos, o uso de lâmpadas  “quentes”, de cor mais amarelada. Para ambientes de uso (cozinhas e banheiros) e escritórios, as lâmpadas “frias”, de cor mais branca ou azulada. Os termos “quente”  e “frio”, nestes casos, não se referem à temperatura, mas ao tom da luz emitida. Ambos têm a mesma eficiência e economia.

 

 

Resolva Você Mesmo - Comentários

 

Curtiu? Tem alguma dúvida?

Deixe seus comentários nos campos abaixo:

 

Você pode gostar também de...